sexta-feira, 22 de maio de 2009

A Cadeira

Um sacerdote foi orar por um homem muito enfermo. Quando entrou, encontrou o homem na cama e uma cadeira ao lado dela. Pensou que a sua chegada era aguardada. “Suponho que estava me esperando!”, disse o sacerdote. “Não, quem você é?”, perguntou o enfermo. “Sou o sacerdote que sua filha chamou para orar por você. Quando vi a cadeira vazia, imaginei que soubesse que iria visitá-lo”. “Ah, a cadeira! Entre e feche a porta!”. Então o enfermo lhe disse: “Passei a vida toda sem saber orar e nunca dei importância a isso. Pensava que Deus estava muito distante. Assim, abandonei a idéia de falar com Deus. Até que um amigo me disse: “José, orar é muito simples; é conversar com Jesus. Faça assim: sente em uma cadeira e coloque uma cadeira vazia à sua frente. Em seguida, com muita fé, imagine Jesus sentado ali, diante de você. Afinal, Jesus disse que estaria sempre conosco. Você pode falar com Ele e escutá-lo da mesma maneira que faz comigo”. “Pois assim fiz. Desde então converso com Jesus umas duas horas diárias. Cuido sempre pra que minha filha não me veja, pois logo me internaria num manicômio”. O sacerdote emocionou-se ao ouvir aquilo e disse-lhe que era muito bom o que fazia e que não deixasse nunca de fazê-lo. Orou com ele e foi embora. Dias mais tarde, a filha lhe comunicou que seu pai havia falecido. O sacerdote então perguntou: “Ele faleceu em paz?” “Sim, quando me preparava para sair, ele me chamou. Disse que me amava muito e me deu um beijo. Quando voltei, já estava morto. Porém, antes de morrer, encostou a cabeça na cadeira que estava ao lado da cama. Por que será isto?”, perguntou a filha. O sacerdote profundamente emocionado, respondeu: “Ele partiu nos braços do seu melhor amigo”. Este mesmo poderoso amigo pode ser seu! Basta convidá-lo a morar em seu coração.

‘Prestamos atenção nas coisas que não se vêem... o que pode ser visto dura apenas um pouco, mas o que não pode ser visto dura para sempre. 2Co 4.18’




Nenhum comentário:

Postar um comentário